Pesquisar este blog

sábado, 5 de junho de 2010

Carbonizado amor

Escrevi com tinta sangue
a caneta preta carbonizada
simples de acender como fogo
mais quente que água gelada

Esse amor é fogo mesmo.

Preparei com calor
essa queima de angustia
pra liberar não só carbono,
mas a minha dúvida

Te aqueci e te soltei na fumaça
qualquer um por ti pode se asfixiar agora
sorte daquele que possui máscara
sorte daquele que a ignora

Aprenda a queimar fracassos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário