Pesquisar este blog

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

sábado, 14 de agosto de 2010


Ordinários humanos

Onde estão as crianças,
donas dos brinquedos jogados nas ruas?
Só porque não sentem falta dos bons e educados hábitos
que não estejam faltando à humanidade.
O mundo está morrendo
e quem dera fosse de amor!
A gente chega nessa fase alada
e começa a entender o arrogante,
o que uma criança tem pureza o suficiente
pra tornar desprezível.
E o mais admirável,
ainda consegue ser um humano!
Quem dera todos fossemos eternas crianças
com ainda amor dentro de nós.
A vida se tornou mais do que
o hoje numa caixa
prestes a desembrulhar o presente.
Hipóteses a serem reveladas,
projetos a serem cumpridos,
é preciso coragem para enfrentar
e é preciso iniciativa para torná-lo melhor.
O mundo quem faz -no momento- são os humanos ordinários
que vivem por aí tornando o mal
proveniente do bem,
enquanto mínima parcela da população
que se julga magnífica e exemplar,
coloca culpa nos ordinários humanos.

Criamos o fogo
e não soubemos mais apagá-lo
Temos o cérebro altamente desenvolvido
e não sabemos desenvolver o pensamento pelo melhor
Somos apiteis a natureza
e não sabemos cuidá-la
Somos primatas superiores
e nos tornamos cada vez mais animais.
Humanos,
entenda como quiser
só não os peça para adquirir algum sentido.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Mal amada


Perspicaz,insolente,
que santa e nem nada!
É só sonho pra ti.
É só miragem de deserto
que no manancial tu exalta
e clama pra si.
Ó que tristeza,ó que solidão;
porque tu merece
do que tu faz,recebe
Tantos e tantos carinhos
de socos e beijos azedo.
Se não fosses idiota
serias mais feliz
e juntas choram melancias
e açoitam seu macho
mas quando o melhor tu tens
agradas não com ele,
e sim com ninguém.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Não,entendo bronhas


Preferes um inteligente
ou gosta dos grandes?
Só queres o status
ora sois mais para os Nerd;
não decide sua louca!

Seremos atores
Para conquista-las
Seremos homens,mulheres,
piadistas psicólogos,
falaremos da arte,
de moda e amor.

De momentos de afeto
e bravura para mostrar segurança;
e com o desprezo
trazer a saudade e o ser carente.
Tem lá sua virtudes
mas quanto mais,mais negligência.

Suas mentes são como biscoito da sorte...
ora pois não sei o que virá.
E quando eu digo eu te amo
Tenho dúvida da resposta,
será uma facada no pé,
ou um abraço no coração?

sábado, 7 de agosto de 2010

Trata-se de futilidade

Dizem por aí o que não se escuta daqui
falam por aí o que não se dá importância aqui
Deram apelidos aos fracos
e insultam os oprimidos...
esqueceram que são opacos
perto de tanta significância.
Fazem vista grossa aos próprios defeitos
mas encaminham palavras a boca com extravagância.
Coitados! Mal sabem eles o que os outros monstros
os julgam só pelo fato de respirarem.
Pelo mau senso se passa a desencadear
a solitária fraqueza de não garantir
o que até então pensam que são.
E é só os vizinhos mudarem de opinião
que tudo se torna absolutamente novo e verdadeiro
procuram o recente, o rebuço da própria idéia
a freguesia vem junto ao peixe
e todo palhaço tem platéia.

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Um Romance


Faça nosso relacionamento simples.
Quando duas almas são diferentes,
Basta que o corpo se entenda
e junte-se a mim em teu abraço
Faz teu calor ser meu.
O tempo,é questão de princípios
cheio de surpresas,mas a vida é unica
Então entenda-me quando eu digo
temos que aproveitar ao máximo.
Os Romances...(Romances eternos)
para a alma e calorosos para o corpo
Unidos pelo prazer e pelo destino.

Junte tudo, jogue fora e recomece

Não culpe seu coração por todo amor perdido,
não o chame de idiota,
ele faz parte de você.
O auxilie, o ajude a amar quem verdadeiramente merece seu amor.
O deixe limpo, cuide, tire os curativos
não o culpe pelo que você não fez
ou pelo que fez demais em vão
O ensine a ser feliz
Se preciso, esqueça o resto
jogue para o alto
mas não o prive,
o encha de amor novamente
Ame seu coração antes de amar alguém
Junte os cacos e o reconstrua
nesse quebra cabeça
peça é o que não falta
O coração só pára de bater
quando você pára de viver.