Pesquisar este blog

sábado, 14 de agosto de 2010

Ordinários humanos

Onde estão as crianças,
donas dos brinquedos jogados nas ruas?
Só porque não sentem falta dos bons e educados hábitos
que não estejam faltando à humanidade.
O mundo está morrendo
e quem dera fosse de amor!
A gente chega nessa fase alada
e começa a entender o arrogante,
o que uma criança tem pureza o suficiente
pra tornar desprezível.
E o mais admirável,
ainda consegue ser um humano!
Quem dera todos fossemos eternas crianças
com ainda amor dentro de nós.
A vida se tornou mais do que
o hoje numa caixa
prestes a desembrulhar o presente.
Hipóteses a serem reveladas,
projetos a serem cumpridos,
é preciso coragem para enfrentar
e é preciso iniciativa para torná-lo melhor.
O mundo quem faz -no momento- são os humanos ordinários
que vivem por aí tornando o mal
proveniente do bem,
enquanto mínima parcela da população
que se julga magnífica e exemplar,
coloca culpa nos ordinários humanos.

Criamos o fogo
e não soubemos mais apagá-lo
Temos o cérebro altamente desenvolvido
e não sabemos desenvolver o pensamento pelo melhor
Somos apiteis a natureza
e não sabemos cuidá-la
Somos primatas superiores
e nos tornamos cada vez mais animais.
Humanos,
entenda como quiser
só não os peça para adquirir algum sentido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário