Pesquisar este blog

quinta-feira, 18 de março de 2010

A luz da liberdade

Não especifico nomes
não dou a todos o direito de beijar minhas mãos
afinal, não sei nem quem sou
não vou saber quem são meus irmãos

Nada vai estar bem
enquanto eu não souber brincar, ser feliz
já tive tantas tentativas sem sucesso
o fracasso veio primeiro, quebrei muito o nariz

Costumo dizer
que felicidade é o estado do espírito
ta todo mundo cansado de saber
que amor e felicidade tem um vínculo

As vezes acho que ninguém me vê na multidão
sem lugar pra sentar ou escorar,
com quinhentas pessoas ao seu redor
mas sozinho você está

Gosto de ver o pássaro voar
como gosto de me sentir livre pra poder sonhar
não digo apenas o amor sincero de companheiro
pai, mãe, irmão, pessoas quem te fazem amar

Derramar lagrimas, talvez a melhor solução
depressão é exagero ao falar o mudo
- Escolha apenas um!
Mas eu escolho de tudo

Quem é essa pessoa do seu lado?
Que forma eu a trato? Merecedora?
Quem não me dá assistência
que tipo de assistência eu quero? Ameaçadora!

Minha fisionomia já não tão aberta
rugas de tanto procurar obstáculos pra pular
minha tosse parece ser de Q.I
me alimento de um só olhar

A semelhança pálida
que reflete do seu rosto, no meu
pra mim são todos iguais
confio no meu taco, não no seu

Em busca sempre do melhor
se sonho é uma descarga da alma oscilada
vou atrás da minha fortuna
mas sem sinceridade, não tenho nada

Estar junto á alguém
da qual sem desconfiança permaneça
é a mesma coisa que achar a chave da porta do céu
e só poder abrir a gaveta

Nem sempre tive amor pra dar
Só pra vender
Algo ambicioso mora dentro de mim
dos dois lados, qual você acha que deve vencer?

Não me comprometa
erros geralmente são aceitáveis
quando a vítima dá valor ao perdão
e pra reconciliar são vulneráveis

Ao acordar, a luz da lâmpada quase me cega
-abra o olho. Acordo de verdade
Descubro o que é, está me chamando
é o vigor da liberdade

Nenhum comentário:

Postar um comentário